quarta-feira, 9 de novembro de 2011

Terra Santa saindo de Palmas


Nós da Missão de Palmas estamos convidando você para peregrinar conosco para a Terra Santa!!! Vamos conhecer e ter experiência  de oração nos lugares onde Jesus passou.  Será de 21 a 30 de Outubro de 2012. Temos formas de pagamentos facilitados (cheque, boleto ou cartão de crédito). Faça já o seu pacote.
Obra de Maria: mais que viagens, encontros com Deus!
Informações: (63) 3571-9202 (Laion / Robson)

segunda-feira, 7 de novembro de 2011

Quem ajuda na evangelização tem os mesmos méritos do evangelizador



Pelo Braço Forte, nossos amigos ajudam a Casa Stª Teresinha/Missão de Palmas a cumprir seu mandato de evangelizar. Por isso, quem contribui com o Braço Forte é também evangelizador. Mesmo que não possa ou não saiba anunciar a Palavra de Deus, mesmo que não possa sair de sua casa e de sua terra para ir pelos bairros e pelo mundo a anunciar o Evangelho, o contribuinte é um evangelizador, porque estará sustentando a obra evangelizadora dos missionários. “Quem ajuda a evangelização tem merecimentos de evangelizador”.    Quem contribui para que a Comunidade Obra de Maria possa desenvolver um bom trabalho de evangelização tem merecimentos de missionário...

terça-feira, 1 de novembro de 2011

2 de Novembro: Comemoração dos Fiéis Defuntos


Neste dia ressoa em toda a Igreja o conselho de São Paulo para as primeiras comunidades cristãs: "Não queremos, irmãos, deixar-vos na ignorância a respeito dos mortos, para que não vos entristeçais como os outros que não tem esperança" ( 1 Tes 4, 13). 

Sendo assim, hoje não é dia de tristezas e lamúrias, e sim de transformar nossas saudades, e até as lágrimas, em forças de intercessão pelos fiéis que, se estiverem no Purgatório, contam com nossas orações.

O convite à oração feito por nossa Mãe Igreja fundamenta-se na realidade da "comunhão dos santos", onde pela solidariedade espiritual dos que estão inseridos no Corpo Místico, pelo Sacramento do Batismo, são oferecidas preces, sacrifícios e Missas pelas almas do Purgatório. No Oriente, a Igreja Bizantina fixou um sábado especial para orações pelos defuntos, enquanto no Ocidente as orações pelos defuntos eram quase geral nos mosteiros do século VII; sendo que a partir do Abade de Cluny, Santo Odilon, aos poucos o costume se espalhou para o Cristianismo, até ser tornado oficial e universal para a Igreja, através do Papa Bento XV em 1915, pois visava os mortos da guerra, doentes e pobres.

A Palavra do Senhor confirma esta Tradição pois "santo e piedoso o seu pensamento; e foi essa a razão por que mandou que se celebrasse pelos mortos um sacrifício expiatório, para que fossem absolvidos de seu pecado" (2 Mc 2, 45). Assim é salutar lembrarmos neste dia, que "a Igreja denomina Purgatório esta purificação final dos eleitos, que é completamente distinta do castigo dos condenados" (Catecismo da Igreja Católica). 

Portanto, a alma que morreu na graça e na amizade de Deus, porém necessitando de purificação, assemelha-se a um aventureiro caminhando num deserto sob um sol escaldante, onde o calor é sufocante, com pouca água; porém enxerga para além do deserto, a montanha onde se encontra o tesouro, a montanha onde sopram brisas frescas e onde poderá descansar eternamente; ou seja, "o Céu não tem portas" (Santa Catarina de Gênova), mas sim uma providencial 'ante-sala'. 

"Ó meu Jesus perdoai-nos, livrai-nos do fogo do Inferno. Levai as almas todas para o Céu e socorrei principalmente as que mais precisarem! Amém!"

segunda-feira, 24 de outubro de 2011

MIssão S. Paulo Apóstoto -Muribeca/SE


A casa de missão S. Paulo Apóstolo que fica no município de Muribeca no estado de Sergipe na Paróquia Senhor das Misecórdias cujo pároco é o Pe. Manoel Messias.
Foi aberta em 23 de outubro de 2008, atualmente desenvolvemos evangelização com: crianças do PETI, com os jovens, saímos nas escolas, formação para casais que querem receber o sacramento do matrimônio, damos assistência a sete povoados que fazem parte do território paroquial, dando também todo o nosso apoio e assistência a RCC local, com grupos de oração, e é claro com cenáculos que é o meio mais forte de evangelização que temos.
Graças a Deus a missão é fantástica e muito agitada já que tem muito a ser feito e
somos apenas três missionários.
 Como toda a nossa Comunidade nós vivemos da providência de Deus manifestada através das doações de nossos amigos e benfeitores, e somos gratas ao Senhor por sua fidelidade que em nada nos deixou faltar.







segunda-feira, 17 de outubro de 2011

LOUVE A DEUS TUDO O QUE VIVE E QUE RESPIRA


Mais uma vez Belém celebra o Círio de Nazaré com dignidade e galhardia, como corresponde às mais arraigadas e legítimas tradições do povo paraense. Percorremos rodovias e avenidas, ruas e praças, ao som dos fogos de artifício, aclamações vibrantes, cantos, sorrisos, lágrimas e gritos de louvor. A multidão era incontável em todas as partes, mais ainda no domingo do Círio. Temos ainda outros passos a percorrer os próximos dias, até concluirmos a quadra nazarena. A cada dia, a Basílica repleta de fiéis, Bispos do Brasil inteiro que pregam a Palavra de Deus, cantos e orações. Em toda a quinzena, o “departamento de colheita”, como vejo a celebração do Sacramento da Penitência. Ali, na graça do confessionário os resultados espirituais do Círio se manifestam. De fato, Nossa Senhora conduz o povo à terra da reconciliação e ao abraço amoroso do Pai, onde todos têm valor! Alternamos sons e silêncio, procissões e louvores, penitência e ação de graças. É oportuno perguntar se tudo o que vivemos é prece autêntica que sobe ao Céu.
Veio-me à mente a experiência vivida pelo rei Davi, assim descrita no segundo livro de Samuel: “Davi, cingido apenas com um manto sacerdotal de linho, dançava com todas as suas forças diante do Senhor. Davi e toda a casa de Israel conduziam a arca do Senhor, soltando gritos de júbilo e tocando trombetas. Quando a arca do Senhor entrou na cidade de Davi, Micol, filha de Saul, estava olhando pela janela. Vendo o rei Davi dançar e pular diante do Senhor, desprezou-o em seu coração. Introduziram a arca do Senhor e depuseram-na em seu lugar, no meio da tenda que Davi tinha armado para ela. Em seguida, Davi ofereceu holocaustos e sacrifícios de comunhão na presença do Senhor. Assim que terminou de oferecer os holocaustos e os sacrifícios de comunhão, Davi abençoou o povo em nome do Senhor dos exércitos. E distribuiu a todo o povo, a toda a multidão de Israel, aos homens como às mulheres, um pão de forno, um bolo de tâmaras e uma torta de uvas. Depois, todo o povo foi para casa. Quando Davi voltou para saudar a família, Micol, filha de Saul, foi-lhe ao encontro e disse: ‘Que bela figura fez hoje o rei de Israel, desnudando-se aos olhares das escravas dos seus servidores, como o faria um bufão qualquer!’ Mas Davi respondeu: ‘É diante do Senhor que eu danço! Bendito seja o Senhor, que me escolheu de preferência a teu pai e a toda a tua família, para tornar-me o príncipe do seu povo Israel. Diante do Senhor, eu vou pulando. Serei humilhado ainda mais, ficarei rebaixado a meus próprios olhos, mas da parte das escravas de que falas ganharei estima’. (2 Sm 6, 12-22).
Toda a nossa vida deve tornar-se louvor de Deus, pois tudo que o Senhor fez se destina à sua glória. A natureza, com suas cores, sons e movimento já louva o Senhor pelo fato de as coisas existirem. Os homens e mulheres receberam de presente a liberdade, com a qual podem decidir-se ou não pelo relacionamento com aquele que é a fonte de tudo o que existe.
Uma vida que é gerada, destinada à eternidade e à comunhão com Deus, tem seu valor inestimável, devendo ser respeitada até o ocaso natural, o que leva os cristãos a rejeitarem o desrespeito a ela que se manifesta na onda de abortos e todas as outras formas de assassinato. Causa indignação a violência reinante e o menosprezo à vida dos pequenos e pobres, inclusive a ocorrência de assaltos e ameaças nos dias que correm em nossas cidades.


Optar pela vida e pelo louvor de Deus nos levou a viver, no domingo do Círio, a experiência da partilha e da solidariedade. Parecíamos ver um mundo diferente, quem sabe uma verdadeira lição para aprendermos a ser mais irmãos. Cantavam a Deus os rostos suados, os olhares, sorrisos e lágrimas que tive a graça de aspergir. Sim, oramos com barulho ou com o silêncio, desfiamos as contas do Rosário, não nos envergonhamos de percorrer nossas ruas como o rei Davi. Trazíamos a imagem de Nossa Senhora de Nazaré, aquela que a Igreja chama “Arca da Aliança”, por ter trazido ao mundo aquele que é o pastor do novo Israel de Deus, representado pelo cajado de Aarão, Jesus, Pão da Vida prefigurado no Maná das andanças do povo no deserto, aquele que é em si mesmo a Nova Lei, antes preparado pelas tábuas da Antiga Aliança. Sim, tudo foi louvor a Deus. Dançamos e cantamos diante do Senhor, acompanhados pela jovem Virgem de Nazaré.






Dom Alberto Taveira Corrêa
Arcebispo Metropolitano de Belém

quarta-feira, 12 de outubro de 2011

Festa de Nª Srª da Conceição Aparecida


O Brasil celebra hoje (12) a sua Padroeira, Nossa Senhora Aparecida. O maior templo mariano do mundo ficou pequeno para acolher a fé de tantos devotos da Mãe Aparecida.
 Entre as comemorações em homenagem à Padroeira do Brasil, o ponto alto desta terça-feira foi a Missa Solene das 10h.
 Cerca de 35 mil fiéis participaram da celebração presidida pelo Cardeal arcebispo de Aparecida e presidente da Conferência da Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB), Dom Raymundo Damasceno Assis.
 Concelebraram o bispo emérito de Rubiataba (GO), Dom José Carlos Oliveira, o bispo emérito de Prelazia de Coari (AM), Dom Joércio Gonçalves Pereira, o bispo emérito de Barretos (SP), Dom Pedro Fré, o bispo de Caraguatatuba (SP), Dom Antônio Carlos Altieri, o bispo de São José do Campos, Dom Moacyr Silva e o bispo de Frederico Westphalen (RS), Dom Antônio Carlos Rossi Keller, além do reitor do Santuário Nacional, padre Darci Nicioli, o administrador, padre Luiz Cláudio Alves de Macedo e diversos religiosos e Missionários Redentoristas.
 Em sua homilia, Dom Raymundo Damasceno, que há 3 anos não preside a celebração solene, em virtude de estar a serviço do Santo Padre, o papa Bento XVI, saudou Immaculèe Ilibagiza, sobrevivente de um genocídio ocorrido em Ruanda, em 1994.
 “Sua sobrevivência é obra da divina providência que preservou sua vida para que pudesse contar sua história e os horrores da guerra e lutar por um mundo mais justo, sem discriminação, sem ódio, sem violência, no qual todos possam viver como filhos de Deus e irmãos uns dos outros”, afirmou.
 O Cardeal recordou o encontro da Imagem da Virgem de Aparecida nas águas no Rio Paraíba do Sul.
 “Após lançarem a rede várias vezes, sem nenhum resultado, ao chegarem com sua canoas ao Porto de Itaguassu, um dos pescadores, João Alves, lançou novamente a rede e tirou das águas o corpo de uma imagem, sem cabeça. Lançando a rede mais abaixo, outra vez, retirou a cabeça da mesma imagem”, afirmou o Cardeal.
 Dom Damasceno destacou que, desde outubro de 1894, os Missionários Redentoristas zelam pela Pastoral do maior Santuário mariano do mundo.
 “Atualmente são mais de 10 milhões de devotos de Nossa Senhora Aparecida que visitam a Casa da Mãe Aparecida e com a Rede Aparecida de Comunicação, este Santuário, parafraseando o Papa João Paulo II, se converteu, não só para os romeiros, mas também, para o Brasil, em antena permanente da boa nova da salvação”, completou.
 Sobre o evangelho, Dom Damasceno destacou o casamento em Caná da Galiléia e destacou, neste episódio, a presença da mãe de Jesus, do próprio Jesus e de seus discípulos.
 O Cardeal explicou que este primeiro milagre de Jesus que se realizou, no inicio de sua vida pública, a pedido de Maria, é o anúncio simbólico da hora de Jesus, da manifestação da sua glória e os seus discípulos creram nele.
 Senhora Aparecida, reflexo do Coração Materno de Deus – Fazendo referência ao tema geral da Novena e Festa da Padroeira deste ano, Cardeal Dom Damasceno afirmou que Maria é o reflexo humano do coração materno de Deus.
 Segundo o Cardeal, os fiéis recorrem a Ela com tanta devoção, pois sentem intuitivamente este amor materno. Sabem que Maria compreende sua dor e seus desejos, entende suas limitações.
 “Reconhecem em Maria a nossa irmã, que viveu como perfeita discípula de Jesus com esperança e coragem. Reverenciam a Senhora Aparecida como Mãe nossa, que reúne os filhos e filhas debaixo de seu imenso manto. Pois o povo costuma dizer: “em coração de mãe sempre cabe mais um filho”, disse.
 Voltando-se para a Imagem de Nossa Senhora Aparecida, Dom Damasceno afirmou que pediu a intercessão da Virgem para que cuide de nosso amado e continental país, que foi confiado à sua proteção como Padroeira principal de nossa Nação Brasileira e de sua boa gente.
 “Que a Senhora Aparecida faça crescer em todos nós a fé em Jesus, o compromisso de anunciá-Lo aos nossos irmãos, a consciência cidadã, a responsabilidade de cuidar também dos mais fracos e de proteger o meio ambiente”, concluiu.

Fotos: Imprensa/Santuário Nacional

domingo, 2 de outubro de 2011

Celebração de Stª Teresinha na nossa Missão

Ontem 1ª de Outubro dia dedicado a Stª Teresinha nós da missão de Palmas festejamos a ela, que um dos nossos baluartes e Padroeira da nossa missão, com uma celebração presidida pelo diac. Moisés (C.O.M.). A Missão de Palmas tem a honra de ter como baluarte a Padroeira das Missões. No final houve a distribuição das rosas, músicas feitas dos seus escritos e declamações de seus poemas à Jesus. Nada melhor que começar o mês das missões pedindo a intercessão da Padroeira das Missões. 
Stª Teresinha do menino Jesus e da Sagrada Face, rogai por nós!


sábado, 1 de outubro de 2011

Oração à Stª Teresinha do Menino Jesus e da Sagrada Face


Ó Santa Terezinha , branca e mimosa flor de Jesus e Maria , que embalsamais o Carmelo e o mundo inteiro com o vosso suave perfume, chamai-nos e nós correremos convosco, ao encontro de Jesus, pelo caminho da renuncia, do abandono e do amor.
Fazei-nos simples e dóceis, humildes e confiantes para com o nosso Pai do céu. Ah! Não permitais que o ofendamos com o pecado. Assisti-nos em todos os perigos e necessidades; socorrei-nos em todas as aflições e alcançai-nos todas as graças espirituais e temporais ,especialmente a graça que estamos precisando agora. Lembrai-vos , ó Santa Terezinha que prometestes passar vosso céu fazendo bem a terra, sem descanso, até ver completo o número de eleitos. Ah Cumpri em nós a vossa promessa: sede nosso anjo protetor na travessia desta vida e não descanseis até que nos vejais no céu ,ao vosso lado, contando as ternúras do amor misericordioso do Coração de Jesus. Amem

sexta-feira, 30 de setembro de 2011


Aconteceu de 17 a 25 desse mês os festejos em honra a Nossa Srª das Mercês que é a padroeira da nossa Paróquia. Foram dias de intensas orações e louvores à Deus por intermédio de Sua humilde serva. Houve também a festa social com seus leilões e prendas para arrecadar fundos para a construção da nova Matriz. Na festa de encerramento houve uma belíssima procissão com a imagem saindo da Capela Stª Teresinha (Com. Obra de Maria) indo pelas ruas dos Setores Bela Vista e Sol Nascente até chegar a Matriz onde teve a Santa Missa presidida pelo Pe. Jonas (C.O.M), co-celebrada pelo Pe. Possidonio (C.O.M) e a presença do Diac. Moisés (C.O.M). Com muito carinho e devoção ao término da missa as crianças coroaram a imagem de Nossa Srª das Mercês. Foram momentos de grandes emoções e experiências de Deus por intercessão da Bem-Aventurada Virgem Maria.
Nossa Srª das Mercês, rogai por nós!

sábado, 24 de setembro de 2011

Homem é preso após disparar contra guarda em visita papal à Alemanha



O homem que disparou contra seguranças perto a uma praça na cidade de Erfurt, na Alemanha, onde o Papa Bento XVI realizou uma missa de eucaristia neste sábado (24), foi detido pela polícia local. A arma usada no ataque era de ar comprimido, dizem autoridades alemãs.
Segundo Jorg Geibert, ministro do Interior do estado alemão da Turíngia, ninguém ficou ferido após o incidente, que aconteceu duas horas antes da presença do pontífice na catedral do município. Mesmo com o ocorrido, não houve alterações no cronograma papal.
A visita de 4 dias do Papa Bento XVI, de 84 anos, à Alemanha conta com passagens pela capital Berlim e por Freiburg, no sudoeste do país. Nascido no estado alemão da Baviera, retorna ao país pela terceira vez desde que assumiu o principal posto da Igreja Católica, em 2005.
Milhares de fiéis comparecem às ruas de Erfurt neste sábado para ver de perto o pontífice. O Papa Bento XVI visita regiões de maioria protestente e ateístas durante sua passagem pelo país.
* Com informações das agências de notícias Associated Press e Reuters.

segunda-feira, 2 de maio de 2011

O milagre que tornou possível a beatificação de João Paulo II


 A cura inexplicável de uma religiosa francesa que sofria de mal de Parkinson abriu o caminho para a beatificação do Papa João Paulo II, morto em 2005 após um longo calvário provocado justamente pelas conseqüências da doença.
A freira francesa, Marie Simon-Pierre, enfermeira de profissão, segundo a Congregação para a Causa dos Santos, curou-se inexplicavelmente depois de orações e pedidos dirigidos a João Paulo II, poucos meses após a morte do pontífice.
Para a beatificação, primeiro passo, no longo caminho até a canonização, é demonstrar que o candidato a santo intercedeu por um milagre.
Coincidência
Marie Simon-Pierre, na época com 40 anos, trabalhava em um hospital de Aix-en-Provence, no sul da França, quando foi diagnosticada em 2001 com Parkinson.
Em 2007, a religiosa decidiu contar à imprensa como havia melhorado "milagrosamente" depois que a doença se agravou, em 2005, ano da morte de João Paulo II.
Após dias de rezas e pedidos de toda a comunidade ao papa polonês, Marie Simon-Pierre conta ter deixado de sentir os sintomas da doença na madrugada entre os dias 2 e 3 de junho.
"Eu me senti completamente transformada. Senti que estava curada", contou.
O caso da freira, que viu João Paulo II uma única vez em 1984, foi submetido à análise da Congregação da Causa dos Santos, que examinou e aprovou o milagre, após consultas junto a um conselho de especialistas médicos e teólogos.
O processo sofreu atrasos porque a congregação vaticana fez questão de considerar qualquer possível objeção, submetendo o caso a vários peritos.
De acordo com Dom Slawomir Oder, encarregado da documentação para a canonização de João Paulo II, a religiosa enferma seguiu o conselho de sua madre superiora, que sugeriu que ela escrevesse em um pedaço de papel o nome de João Paulo II.
Depois de uma "súplica extrema" e ao longo de uma "noite de pregação", Marie Simon-Pierre teria então se curado, segundo Oder, destacando que entre os documentos que comprovam o milagre estão exemplos da caligrafia da religiosa antes e depois da cura misteriosa.
"A mudança na letra é impressionante: de ilegível a normal", afirmou.
Ciência
Para não deixar dúvidas sobre a confiabilidade de seu depoimento, a religiosa se submeteu também a um exame psiquiátrico, contou Oder.
O prelado explicou ter escolhido o milagre da francesa entre outros atribuídos a João Paulo II para demonstrar que o papa sentia na própria pele "a batalha pela dignidade da vida". Em 19 de dezembro de 2009, o Papa Bento XVI aprovou "as virtudes heroicas" de Karol Wojtyla.
O processo de beatificação foi iniciado por Bento XVI dois meses depois da morte de seu predecessor, um prazo excepcionalmente breve.
Durante as dezenas de homenagens fúnebres a João Paulo II na praça de São Pedro, em Roma, milhares de fiéis clamaram pela canonização do pontífice.
Uma vez beatificado, é preciso provar que João Paulo II intercedeu em um segundo milagre para que seja canonizado. (RB/AFP).

Por: cnbb/rádio vaticano

quinta-feira, 28 de abril de 2011

Páscoa é uma Família

Que conceito bonito este de que a família é a Igreja doméstica:
"Em nossos dias, num mundo que se tornou estranho e até hostil à fé, as famílias cristãs são de importância primordial, como lares de fé viva e irradiante. Por isso, o Concilio Vaticano II chama a família, usando uma antiga expressão, de “Eclésia domestica”. É no seio da família que os pais são 'para os filhos, pela palavra e pelo exemplo... os primeiros mestres da fé. E favoreçam a vocação própria a cada qual, especialmente a vocação sagrada'” (Catecismo da Igreja Católica, n° 1656).
O lar cristão é o lugar em que os filhos recebem o primeiro anúncio da fé. Por isso, o lar é chamado, com toda razão, de “Igreja doméstica”, comunidade de graça e de oração, escola das virtudes humanas e da caridade cristã (Catecismo da Igreja Católica, n° 1666).
Os pais são os primeiros a transmitir a fé, os valores cristãos e universais e uma boa educação para os filhos. Pai e mãe são mestres da vida, pela palavra e pelo exemplo eles nos ensinam coisas que vamos levar para a vida toda, que irão influenciar as nossas escolhas e, principalmente, formar a nossa consciência do bem e do mal. Serão os primeiros catequistas, que, muito mais do que ensinar, irão transmitir pela prática, porque os filhos os verão fazendo.
Eu mesmo poderia dizer da minha mãe e da minha avó quando as via rezar o terço diante da imagem de Nossa Senhora: “Era uma santa ouvindo o que a outra santa dizia!” Meus pais imprimiram em mim muito mais do que traços biológicos e heranças hereditárias, qualidades e defeitos e o desejo de um futuro brilhante. Eles fizeram com que eu experimentasse o amor de Deus e a graça da fé. Quando ainda era criança, sem que eu entendesse, me deram um banho de Água Viva, que me fez nascer de novo e me enxertou em Cristo Jesus. Dando-me assim o Dom da imortalidade e a graça de pertencer a uma família muito grande: a Igreja!
Como explicar para as nossas crianças e jovens que, na Páscoa, o mais importante é a festa da vida que vence a morte? Que Cristo verdadeiramente foi morto numa cruz e que, por aceitar morrer assim, Ele nos libertou do pecado e nos salvou pela Sua Ressurreição? A Páscoa é uma festa de família, porque viver ressuscitado é saboroso como o chocolate, é cheio de vida como o ovo e é tão fecundo como um casal de coelhinhos. É preciso ter a coragem de celebrar a fé em família e ensinar o verdadeiro sentido de ser cristão.
Celebrar a Páscoa é renascer com Cristo ressuscitado, é passar da morte para a vida, é vencer o pecado e a morte. É também celebrar a vida com o sabor de um ovo de chocolate e mostrar ao mundo que o cristão precisa ser como o coelho: fecundo em virtudes, amor e santidade. É arrumar uma ceia e acender uma vela para convidar os amigos e parentes para se iluminarem com a luz de nossa fé. Uma fé que nasce e renasce constantemente no seio de nossas famílias. É ser criativo e pedir ao Espírito Santo que grave em nossos corações a Graça e o verdadeiro sentido dos símbolos pascais:
O Círio Pascal: Representa o Cristo Ressuscitado, que deixou o túmulo, radioso e vitorioso. Na vela pascal ficam gravadas as letras Alfa e Ômega, significando que Deus é o princípio e o fim. Os algarismos do ano também ficam gravados no Círio Pascal. Nas casas cristãs é comum o uso da vela no centro da mesa no almoço de Páscoa.
O ovo, aparentemente morto, é o símbolo da Vida que surge repentinamente, destruindo as paredes externas e irrompendo com a vida. Simboliza a Ressurreição.
O Cordeiro: Na Páscoa da antiga Aliança, era sacrificado um cordeiro. No Novo Testamento, a vítima pascal é Jesus Cristo, chamado Cordeiro Pascal.
O Coelho: Símbolo da rápida e múltipla fecundidade da Igreja, que está espalhada por toda a parte, reproduzindo fiéis: há um número incalculável de filhos de Deus, frutos da Graça da Ressurreição.

O Trigo e a Uva: Simbolizam o pão e o vinho da Santa Missa e, por seu grande significado com a Trindade Santa, traduzem, por excelência, o símbolo Pascal. Para a ornamentação da mesa de Páscoa, nada mais indicado que um centro feito com uvas e trigo, entre cestas de pães e jarras de vinho.
O peixe é o mais antigo dos símbolos de Cristo. Se Cristo é o Grande Peixe, somos os peixinhos de Cristo. Isso quer dizer que devemossempre viver mergulhados na Graça de Cristo e na Vida Divina,trazidas a nós pela água do batismo, momento em que nascemos espiritualmente, como os peixinhos nascem dentro d’água.
Cristo ressuscitou, ressuscitou verdadeiramente ALELUIA!!!

Padre Luizinho, Com. Canção Nova

sexta-feira, 15 de abril de 2011

"Esta voz não veio por causa de mim, mas por amor de vós" Jo. 12, 30


Este é um dos versículos que faz parte de todo o relato da entrada de Jesus em Jerusalém. 
Jesus, explica ao povo que aquela voz que tinha vindo do céu não tinha sido por causa d’Ele mas sim como mais uma prova do amor incondicional de Deus, como prova que não estamos sós, mesmo na dúvida, mesmo na incredulidade. 
Todo o relato da Paixão de Cristo é um relato de Amor; é a prova viva que Deus tem um Amor incondicional, desmedido e levado até às últimas graças por toda a Humanidade, por todos os seus pobres filhinhos.
Jesus, o mais manso e humilde dos corações, não quer ser o protagonista desta história, não quer que nada do que acontecesse fosse obrado ou por culpa ou causa/efeito dele, mas, que fosse tudo pela honra, glória e amor do Pai.
Esta Páscoa podes até não ir à Igreja, a mensagem pode ser igual a todos os anos, mas tem a certeza que só tu é que podes mudar isso porque se deixares Jesus entrar na tua vida e nela operar pequenas coisas, verás que as transformações serão muito grandes e tudo em ti será renovado, poderás mudar o teu mundo e poderás renascer a cada passo com Jesus a caminho da Ressurreição, para que a tua glória seja em e com Jesus, pois só com Ele toda a nossa dimensão humana é completa.
Eu não quero ser metade do que posso ser, eu não quero receber graças pela metade, eu não quero passar por mais uma Páscoa.
Eu quero, nesta Páscoa, ser fiel no que é pequeno, em cada queda, como Jesus, me levantar e morrer para alcançar a Vida eterna. 
E tu?






Nuno Sousa
Membro da Comunidade XTO
Açores-Portugal

segunda-feira, 11 de abril de 2011

Aos nossos Braços Fortes


Generosidade, caridade e amor são palavras muito bonitas e que todos gostam de dizer, mas na prática são poucos os que correspondem com o que essas lindas palavras significam. 

                    Leia mais

quinta-feira, 31 de março de 2011

Você é capaz de amar!


"Deus quer que algo totalmente novo aconteça em nossa vida: pela graça de Deus, podemos tirar amor de dentro de nós.
Como diz a letra da música: "Há amor em mim, há amor em ti, há amor em nós, eu digo que sim".

Somos muito marcados, especialmente porque somos muito sensíveis - é como o fio da navalha -, terrivelmente machucados na sensibilidade, por isso machucados na sexualidade. Fomos machucados na nossa capacidade de amar. Não estou menosprezando ninguém, mas o músico, por ser artista, tem mais capacidade de amar, graças a Deus.

O Senhor dotou você com grande capacidade de amar, mas justamente porque você é mais sensível, foi mais machucado. Quanta tolice nos seus relacionamentos... Quanto você se machuca na sua sexualidade... Quantas consequências se desencadearam daí. Mas, graças a Deus, tudo isso tem cura. O remédio está ao nosso alcance. O seu caso tem solução.

O Senhor mesmo o faz cantar: "Mesmo se não te amaram, se com amor não te olharam..." Olharam com malícia, com cobiça, com sedução... "Mesmo se não te amaram, se com amor não te olharam, o Pai sempre te amou e ama, Deus, com amor, sempre te olhou."
Isso é cura. O Senhor quer curar você. Deus já o está curando. Uma cura enorme está acontecendo em você. Acredite, acolha essa graça pela fé. Eu sei que existe muita coisa se mexendo dentro de você. Há uma luta no seu interior porque o inimigo de Deus não queria que isso chegasse a sua mão, nem que você o acolhesse. Forças contrárias estão lutando dentro de você. Mas o Senhor está vencendo. Ele cura especialmente a você, dotado de muita sensibilidade e capacidade de amar. Ele cura!

Obrigado, Senhor, por me curar, e a Tua cura é concreta. Ó, Senhor, cura-me e preenche essas áreas esvaziadas com o Teu Espírito Santo. Imediatamente, Senhor, cura-me e batiza-me agora no Espírito Santo, que é amor. Ó, Senhor, cura as áreas onde o meu amor foi machucado. Cura-me com um batismo no amor!"






(Do livro: "Músicos em ordem de batalha" - de monsenhor Jonas Abib)

sábado, 26 de março de 2011

É tempo de perdoar...

E assim iniciamos a quaresma, a meu ver um dos mais belos e profundos períodos de nossa igreja. Onde tudo silencia e o cristão diante da verdade inegável do fim para pra pensar em sua existência. Nada de flores, nada de palmas... O silêncio reina e neste silêncio podemos ouvir os murmúrios do espírito que deseja converter-se e voltar para o Pai.
Quantas vezes no “corre-corre” da vida nos afastamos dos caminhos que o Senhor nos convida a trilhar? Quantas vezes fomos tão permissivos ao mundo e tão pouco maleáveis a Deus? Diante das situações que a vida nos coloca tantas vezes é mais fácil fazer o que  é errado, e que convém a mim do que é certo e convém a Deus?!
A quaresma é o período de voltarmos a trilhar o caminho que o Pai nos apresentou, um período de conversão e de volta a casa do Senhor, “de sacrificar sua vida em amor a Deus” (LUC. 9; 24 ); fazer o que convém a Ele; é o momento de sermos muito mais espírito que carne. E é nesta espiritualidade que venho lhes falar sobre fazer o que é certo, voltar ao caminho, amar, fazer a vontade de Deus, em fim falar-lhes sobre o perdão, mais que isso convidar-te ao exercício de perdoar, afinal é o próprio Deus que nos convida a isso.
Perdoar e pedir perdão não são um mero capricho de Deus, é uma necessidade de nosso ser! É preciso que saiamos de nosso orgulho para que isso aconteça. Nosso Pai sabe o quanto isso custa para nós, seres mesquinhos que somos, e vemos neste ato tão simples algo tão humilhante, porém o que poucos sabem é o poder que o perdão possui.
Gilberto Gomes Barbosa, fundador da Comunidade Obra de Maria, costuma dizer que perdoar é ser livre! E é isso que o Pai deseja que nós experimentemos: a liberdade do perdão!
Não lhes direi que é fácil, mas que é possível perdoar e pedir perdão. Tudo depende de uma atitude, do simples querer. Deseje sair de sua armadura de orgulho e se deixe tocar por Deus. Talvez vocês se perguntem: “mas porque devo perdoar quem me feriu ou pedir perdão?” É simples: Jesus quando veio ao mundo nos ensinou a amar, a sermos humildes e a perdoar nossos inimigos. Mesmo diante do sofrimento de sua paixão, açoitado, blasfemado e pregado na cruz inocentemente. Pediu perdão por aqueles que O maltratavam e neste ato os perdoou também. Cristo não nos pede mais do que Ele mesmo não tenha vivido.
Devemos perdoar por amor ao próximo e a Deus. Como fazê-lo? Como já lhes disse basta uma atitude o querer. Queira perdoar! Peça perdão!  Comece rezando por quem te feriu, invoque a misericórdia divina para que tenhas a humildade de perdoar também. Com o passar dos dias você irá perceber que pouco a pouco o amor do Pai quebrando mais essa barreira e quando menos esperar já estará rezando com sinceridade e se verás capaz de perdoar e de pedir perdão.
As feridas que a falta de perdão nos causam-nos torna amargos,nos afasta de Deus e sendo a Quaresma um período de volta ao Pai, o exercício do perdão é essencial. Sendo assim, deixemo-nos ouvir a voz de nosso espírito que se encontra acorrentado, ferido e distante. Neste tempo, em que nosso mundo católico recolhe-se, que possamos recordar os instantes em que eu feri meu irmão, contudo o façamos despidos de nosso orgulho e com a humildade de quem reconhece a dor que causou no outro.
Recorramos à misericórdia de Deus para que rezemos o Pai-Nosso vivenciando o : “perdoai as nossas ofensas, assim como nós perdoamos a quem nos tem ofendido!” .








Kelly Cristina Corrêa Souza
Fase do Discipulado (C.O.M.)
Missão Porto Nacional

quarta-feira, 23 de março de 2011

Formação

Neste ano uma de nossas metas é fazer com que os familiares conheçam um pouco da nossa Comunidade. Então no dia 17 de Março a primeira casa foi a de nossa irmã Pastorina (C.O.M.). O terço e o louvor ficaram por conta de nossos irmão Genemar(C.O.M.) e Maria Raimunda(C.O.M.). A formação que deu foi Lucas (C.O.M.) com o tema "Tenho uma meta!"


                                    Click aqui para ver as fotos

domingo, 20 de março de 2011

I Encontro Vocacional 30/2011

Aconteceu hoje o I Encntro Vocacional de nossa Missão.
                                      Leia mais e veja as fotos

segunda-feira, 14 de março de 2011

Retiro de Carnaval 2011

Nós que fazemos parte da região Tocantins, fizemos retiros de carnaval nas várias cidades do estado do Estado onde se encontram as nossas casas de missão ou onde foram os nossos missionários.


Em Carirí do To
Houve um grande acampamento em que o poder e as maravilhas de Deus foram manifestas nas vidas de todos os que lá estavam. Tivemos a presença de padres e dos missionários da Comunidade obra de Maria. Muitos dos que lá estavam sentiram-se chamados a dar um passo mais firme, de avançar para as águas mais profundas...

                                         Click para ver as fotos


Em Palmas

       Esse foi o nosso primeiro evento promovido este ano, iniciou com o Retiro de Carnaval realizado na chácara de Seu Trajano onde vários jovens fizeram parte de momento de muita oração, pregações e momentos de lazer. Esteve presente mais de 80 jovens onde cada momento estes viveram a presença de Deus em suas vidas.
A missão de Palmas, sente-se feliz por ter mais uma vez conseguido levar a mensagem de amor, perdão, entusiasmo para os corações desta juventude. Foi um momento onde todos os membros da comunidade contribuíram para a realização deste evento.

                                        Click para ver as fotos


Em Peixe-To
Na missão Nº Srª da Abadia, em Peixe-To, houve o III carnaval com Jesus com temas sobre do Kerigma e a Campanha da Fraternidade. Começou no sabado à noite com a santa missa celebrada pelo Pe. José Barbosa (C.O.M.). No domingo foi o dia de pregações e dinâmicas, e a noite houve a balada santa com dj Willian (Peixe-TO). A segunda foi o dia de preparação para a noite no qual ocorreu uma grande adoração onde pessoas de várias idades estiveram presentes e sentiram o amor e o chamado de Deus para suas vidas.

                                        Click para ver as fotos

domingo, 13 de março de 2011

Missa de posse do Padre Jonas (C.O.M.)


Neste domingo, dia 13 de Março, houve a missa de posse do novo Pároco Pe. Jonas Freire (C.O.M.) substituindo o Pe. Erivaldo (C.O.M.). Na solenidade houve a presença de diversas autoridades locais e religiosas como o Arcebispo de Palmas (que presidiu a celebração), D. Pedro Brito. Com uma cerimônia  cheia de símbolos, o rito de posse canônica  possui vários vários momentos como: a entrega das chaves da Paróquia, entrega da casula (representando a autoridade), a entrega do Evangelho, renovação das promessas sacerdotais, entrega das chaves do sacrário, do batistério e confessionário.
Foi um clima de muita emoção, com várias homenagens ao Pe. Erivaldo por incentiva-los e guiá-los como um verdadeiro pastor que dá a vida pelas suas ovelhas.